Pós-Graduações

Pós-Graduação em Supervisão Pedagógica



Duração: 50 horas
Docentes da ESE João de Deus: Mariana Cortez e José Maria de Almeida
Regime: Sessões Presenciais

Destinatários
Educadores de Infância, Professores do 1.º, 2.º, 3.º Ciclos do Ensino Básico e Ensino Secundário

Início
7 de setembro de 2021 às 17h00, às terças-feiras

Cronograma – Ano letivo de 2021/2022


Objetivos
• Compreender as organizações escolares, as culturas organizacionais e os diferentes modelos de gestão escolar;
• Caraterizar práticas e matrizes de supervisão pedagógica;
• Problematizar teorias, práticas e contextos em supervisão;
• Potenciar a supervisão organizacional na escola;
• Desenvolver capacidades de observação, em contexto de aprendizagem de sala de aula;
• Saber analisar e usar com espírito crítico estratégias supervisivas e didáticas nos processos pedagógicos e de desenvolvimento profissional;
• Sistematizar os desafios para a autonomia e flexibilidade curricular numa perspetiva sistémica das dinâmicas organizacionais da escola;
• Analisar o papel das lideranças e das equipas educativas na implementação do currículo em cada escola;
• Promover trabalho colaborativo na elaboração de instrumentos de avaliação das aprendizagens;
• Elaborar materiais didáticos na perspetiva de avaliar para aprender;
• Partilhar práticas educativas.

Plano Curricular (Descrição dos conteúdos)
MÓDULO 1: SOCIOLOGIA DA ESCOLA
1. As Organizações Escolares
1.1. Tipologias e características
1.2. Os conceitos de eficiência e eficácia organizacionais
2. Modelos de Gestão Escolar
2.1. O ciclo de gestão
2.2. Do modelo de Organização Científica ao modelo de Gestão intercultural
2.3. As Organizações Aprendentes
3. Cultura Organizacional e Gestão Escolares
3.1. Cultura e clima organizacionais
3.2. Modelos de análise da cultura organizacional escolar
4. Metodologias diferenciadas de trabalho pedagógico
4.1. Articulação de conteúdos e desenvolvimentos de projetos
4.2. Pedagogias diferenciadas

MÓDULO 2: PRÁTICAS DE SUPERVISÃO PEDAGÓGICA
1. Supervisão pedagógica: dilemas e desafios
1.1. Tensão entre controlo, avaliação e aprendizagem
1.2. Processos de supervisão intraescola
1.3. O feedback baseado na observação e discussão de práticas letivas
2. Papel das lideranças intermédias nas escolas
2.1. A reflexão de práticas a partir das observações de aulas
2.2. Supervisão: A construção de comunidades de aprendizagem

MÓDULO 3: AUTONOMIA E FLEXIBILIDADE CURRICULAR
1. O Sistema Educativo, Escola e Currículo
1.1. Sistema Educativo Macro, Meso e Micro
1.2. Complexidade da Organização-Escola
2. Abordagens teóricas sobre o conceito de “currículo”
2.1. Noção de currículo e gestão curricular
2.2. Teorias Curriculares
3. Gestão Curricular
3.1. Modelos de organização e flexibilidade curriculares
3.2. Operacionalização de DAC’s
4. Equipas educativas e trabalho colaborativo
4.1. A dinâmica Escolar e o Papel da comunidade educativa
4.2. Trabalho Colaborativo entre docentes

MÓDULO 4: AVALIAÇÃO ORGANIZACIONAL E DAS APRENDIZAGENS
1. A avaliação no contexto educativo
1.1. Avaliação organizacional/escolas, avaliação dos docentes, a avaliação de programas e avaliação das aprendizagens
1.2. Fases da avaliação: planificação; recolha de dados; interpretação de dados; uso/análise de dados
1.3. A avaliação de programas e projetos
2. Avaliação das Aprendizagens
2.1. Consolidação do conhecimento de referência sobre a avaliação das aprendizagens
2.2. Lógicas e culturas na avaliação das aprendizagens
2.3. Contextos e práticas de avaliação das aprendizagens: desafios às práticas, incorporadas numa matriz de promoção do trabalho colaborativo entre professores
2.4. O papel do feedback na avaliação para aprender
2.5. As experiências de uma avaliação formativa: das técnicas de diferenciação pedagógicas ao trabalho colaborativo dos professores
2.6. A criação de redes de partilha e de criação de projetos

Metodologias de ensino-aprendizagem
As sessões, teórico-práticas, consistirão em:
modalidades diversificadas de trabalho; serão utilizadas apresentações de temas e conteúdos, apresentação e discussão de textos, debates, apresentação de casos/dados/projetos recolhidos nas escolas onde os professores exercem funções docentes; problematização de situações, trabalho de pequeno grupo e trabalho individual.

Constitui desafio da conceção do programa e da sua operacionalização, a articulação contínua e adequada entre as dimensões teórica e prática, com o desenvolvimento da componente de trabalho individual, quer na pesquisa, quer na avaliação das aprendizagens, projetos de autonomia e flexibilidade curricular, supervisão pedagógica e organizacional.

Reflexão, em grande grupo, sobre os trabalhos desenvolvidos. Avaliação
Participação nos debates; Leitura, análise e apresentação de textos a partir das referências bibliográficas – Trabalho de pares (40%).

Trabalho escrito individual sobre um tópico dos módulos, a partir de dados empíricos recolhidos nas escolas, com posterior apresentação e discussão na aula (60%).

Referências Bibliográficas
MÓDULO 1
Bilhim, J. (2005). Teoria organizacional, estruturas e pessoas. Lisboa: ISCSP.
Cabral, I., & Alves, J. M. (2018). Inovação pedagógica e mudança educativa – Da teoria à(s) prática(s). Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa.
Canário, R. (2005). O que é a escola? Um “olhar” sociológico. Porto: Porto Editora.
Finuras, P. (2011). Gestão intercultural. Lisboa: Sílabo.
Lima, L. (Org.). (2006). Compreender a escola. Perspectivas de análise organizacional. Porto: ASA.
OCDE (2008). 21st Century Skills: How can you prepare students for the new global economy? Paris: OCDE.
Pimentel, D. (2011). Sociologia da empresa e das organizações. Lisboa: Escolar Editora.
Teixeira, S. (2000). Gestão das organizações. Lisboa: McGraw-Hill.
Tomlinson, C. (2008). Diferenciação pedagógica e diversidade. Porto: Porto Editora.

MÓDULO 2
Alarcão, I., & Roldão, M. C. (2010). Supervisão: Um contexto de desenvolvimento profissional dos professores. Mangualde: Edições Pedago.
Alarcão, I., & Tavares, J. (2007). Supervisão da prática pedagógica – Uma perspectiva de desenvolvimento e aprendizagem. Coimbra: Almedina.
Alarcão, I. (Ed.). (1995). Supervisão de professores e Inovação Educacional. Aveiro: CIDInE.
Alarcão, I. (Org.). (1996). Formação reflexiva de professores. Porto: Porto Editora.
Almeida, J. M. (2016). Um projeto de supervisão pedagógica como aprendizagem organizacional num agrupamento de escolas TEIP. In C. Palmeirão & J. M. Alves (Coor.). Promoção do sucesso Educativo - Estratégias de Inclusão, Inovação e Melhoria. Porto: Universidade Católica Editora. Coleção e-book. ISBN: 978-989-8835-13-0
Magalhães, M., Almeida, J. M., & Domingos, A. (2018). Um olhar sobre as lideranças intermédias – Contributos para a melhoria organizacional e aprendizagem dos alunos. Revista Científica Educação para o Desenvolvimento, 6, 58-79. ISSN-1647-7707.
Mosqueira, P., & Almeida, J. M. (2017). O papel da supervisão pedagógica nos primeiros anos da prática docente no 1.º ciclo do ensino básico. Revista Científica Educação para o Desenvolvimento, 5, 28-43.
Reis, P. (2011). Observação de aulas e avaliação do desempenho docente. Ministério da Educação.

MÓDULO 3
Cohen, A., & Fradique, J. (2018). Guia da autonomia e flexibilidade curricular. Lisboa: Raíz Editora.
Cosme, A (2018). Autonomia e flexibilidade curricular - Propostas e estratégias de ação. Porto: Porto Editora.
Costa, C. (2007). O currículo numa comunidade de prática. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 3, 87-100.
Hujala, E. (2002). The curriculum for early learning in the context of societ. In International Journal of Early Years Education, Vol.10, 2, 95-104.
Magalhães, M., Almeida, J. M., & Domingos, A. (2019). Implementação do projeto de autonomia e flexibilidade curricular: desafios e dificuldades encontradas. Revista Científica Educação para o Desenvolvimento, 7,18-43.
Morgado, J. (2000). A (des)construção da autonomia curricular. Rio Tinto: ASA.
Roldão, M. (2007). O diretor de turma e a gestão curricular. In Cadernos de Organização e Administração Educacional, nº 1, Julho.
Roldão, M., & Almeida, S. (2018). Gestão curricular para a autonomia das escolas e professores. Lisboa: Ministério da Educação – DGE.
Trindade, R. (2018). Autonomia, flexibilidade e gestão curricular – Relatos de práticas. Lisboa: Leya Editora.

MÓDULO 4
Almeida, J. M. (2015). Construção e impacto de um Observatório da Qualidade numa escola TEIP – O seu papel na formação de um agrupamento e a articulação com a consultoria. In J. M. Alves e M. C. Roldão (Org.), Escolas e consultoria. Percursos de desenvolvimento. Porto: Universidade Católica Portuguesa. ISBN-978-989-8366-79-5.
Cosme, A., Ferreira, D., Sousa, D., Lima, L., & Barros, M. (2020). Avaliação das aprendizagens: Propostas e estratégias de ação – Ensino básico e ensino secundário. Porto: Porto Editora.
Costa, J. A., Neto-Mendes, A., & Ventura, A. (2003). Avaliação de organizações educativas. Aveiro: Universidade de Aveiro.
Fernandes, D. (2005). Avaliação das aprendizagens: Desafios às teorias, práticas e políticas. Lisboa: Texto Editores.
Fernandes, D. (2008). Vinte anos de avaliação das aprendizagens: Uma síntese interpretativa de artigos publicados em Portugal. Revista Portuguesa de Pedagogia, 40, 3, 289-348.
Juste, R. P. (2006). Evaluación de programas educativos. Madrid: Editorial La Muralla, S.A.
Leite, C., & Fernandes, P. (2002). A avaliação das aprendizagens dos alunos: Novos contextos, novas práticas. Porto: Asa Editores, S.A.
Magalhães, M., & Almeida, J. M. (2016). Contributos da avaliação organizacional para a melhoria da escola. Revista Científica Educação para o Desenvolvimento, 3, 27-38. ISSN-2183-8518.
Santos, L. (2008). Dilemas e desafios da avaliação reguladora. In L. Menezes, L. Santos, H. Gomes & C. Rodrigues (Eds.), Avaliação em Matemática: Problemas e desafios (pp. 11-35). Viseu: Secção de Educação Matemática da Sociedade Portuguesa de Ciências de Educação.
Santos, L. (2010). Avaliar para aprender. Relatos de experiências de sala de aula do pré-escolar ao ensino secundário. Porto: Porto Editora.
Serpa, M. S. D. (2011). Compreender a avaliação. Fundamentos para práticas educativas. Lisboa: Edições Colibri.

Custos da Formação
Inscrição e matrícula: 70,00 €
Custo total da formação: 307,00 € (pago em 4 prestações de 76,75 €)
Certificado: 70,00 €

Inscrições
As inscrições devem ser realizadas para o email: ese@escolasjoaodeus.pt

Para mais informações contactar a secretaria da ESE João de Deus
Email: ese@escolasjoaodeus.pt | Telefone: 213968154